segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Receita para fazer um bolo de cenoura na Terra da Batata

Ingredientes:

2 amigos alemaes com fome interessados na culinária brasileira
Uma república com cozinha
Uma família alema responsável pela sua alimentacao
Vontade de cozinhar



Modo de preparo:
Vá à despensa da sua família enquanto eles nao estiverem em casa e se muna de todos os ingredientes de que eles nao vao sentir falta e que um dia podem ser necessários para sua alimentacao quando você resolver se aventurar por outros territórios. Junte os ingredientes e deixe-os descansarem no armário de sua cozinha até que você sinta vontade de usá-los. Quando chegar a fome vontade, perceba que sua família está em casa e que você nao tem todos os equipamentos necessários para cozinhar naquele momento. Leve em consideracao que é o seu único dia de folga na semana e que se você falar com sua família que vai cozinhar, vai ter que cozinhar para todos eles. Constate que fazendo isso você estará trabalhando e nao terá tido portanto nenhum dia de folga na semana. Abandone a idéia. Pegue o telefone e ligue para alguns amigos alemaes. Pergunte se eles têm uma cozinha que você possa usar estao com vontade de cozinhar. Escute eles respondendo que nao. Diga que eles nao precisam cozinhar, que você cozinha e eles lavam as vasilhas nao precisam fazer mais nada. Junte os ingredientes na sua mochila e pedale até a república onde um deles mora. Suba cinco andares de escada carregando cinquenta quilos nas costas. Tire os sapatos. Tire a mochila. Vá até a cozinha. Volte pra pegar a mochila. Tire os ingredientes da mesma. Volte com a mochila para o hall de entrada. Volte para a cozinha. Coloque a farinha, o acucar, o leite sobre a mesa. Peca para os amigos mostrarem os ingredientes que têm disponível. Observe eles colocando ovos, 4 maçãs e 50 cenouras sobre a mesa. Decida fazer uma torta de maçã. Lembre-se de que você também trouxe canela. Volte para o hall de entrada, abra a mochila, procure a canela. Nao encontre. Volte para a cozinha. Decida que torta de maçã precisa ter canela. Decida ir ao supermercado para comprar canela. Calce os sapatos. Coloque a mochila. Desça as escadas do prédio e ao chegar no térreo, lembre-se de que é domingo. Constate que domingo na Alemanha nao tem nem padaria aberta. Amaldiçoe a vida. Suba novamente os cinco andares de escada. Tire os sapatos. Tire a mochila. Encontre a canela no chao do hall de entrada. Amaldicoe novamente a vida. Entre na cozinha e descubra que seus amigos comeram duas das maçãs disponíveis. Amaldiçoe seus amigos. Resolva que as duas maçãs restantes nao sao suficientes para fazer uma torta. Lembre de que está com fome. Coma uma maçã. Observe os ingredientes restantes. Decida fazer um bolo de cenoura. Lembre-se de que você nao tem a receita. Decida improvisar. Mande um dos amigos descascar as cenouras. Escute ele reclamando que você tinha dito que ele não precisaria fazer nada. Diga que a culpa é dele, por ter comido as maçãs. Pegue uma vasilha de plástico e coloque a farinha dentro dela. Adicione açúcar e ovos. Lembre-se de que a receita tinha que ter óleo. Pergunte ao amigo que nao está fazendo nada se eles têm óleo em casa. Explique pra ele que azeite de oliva nao combina exatamente com um bolo de cenoura e que você precisava de um óleo sem sabor. Escute-o falando que azeite nao tem gosto e discorde. Tem gosto de azeite. Ignore o comentário dele de que o único óleo disponível além daquele é óleo de banho. Decida que manteiga deve produzir o mesmo efeito e materialize a manteiga na geladeira deles. Lembre-se de que a receita original era feita no liquidificador e pergunte a eles onde fica aquele objeto grande com lâminas que giram em um copo para triturar alimentos e que você não sabe como se chama. Escute um deles respondendo "helicóptero?". Reúna os restos mortais de sua paciência e explique novamente. Balance a cabeca enquanto eles mostram a batedeira, o mixer, um espremedor de laranjas e um ralador giratório que nem eles sabem como se usa. Constate que nao tem liquidificador.  Lembre-se que sua família alema também nao tem liquidificador. Reflita por alguns momentos como as pessoas conseguem sobreviver sem um objeto de tanto valor nas nossas vidas. Amaldicoe os alemaes. Leve em consideracao que cozinheira que é cozinheira consegue fazer um bolo até se faltar farinha ou o forno. Nem que seja de areia.  Pegue o mixer e observe-o com atencao. Uma laminazinha mixuruca pensada inicialmente apenas para misturar líquidos. Ignore o grupo de neurônios que grita "nao vai dar certo! nao vai dar certo!". Lembre-se de que você já triturou legumes com um mixer na casa da sua família. Ignore o fato de que eles estavam cozidos e cortados em cubos pequenos. Pegue as cenouras. Decida que o mixer nao é tao fraco assim e corte as cenouras em pedacos grandes. Mande seus neurônios calarem a boca. Pegue o mixer e comece a misturar os ingredientes. Observe a nuvem de farinha de trigo que se forma em volta da sua cabeca e pousa na sua roupa que ocasionalmente é preta. Desligue o mixer. Amaldicoe mais uma vez a vida. Ignore os neurônios que agora riem da sua cara. Lembre-se de que se sua mae visse isso, sairia balancando a cabeca e falando "só podia ser a Carol na cozinha". Nao comente isso com seus amigos. Continue misturando os ingredientes tomando mais cuidado com a farinha de trigo. Resolva encarar o primeiro pedaco de cenoura. Veja que ele te encara também e que o mixer comeca a tremer na sua mao. De medo.  Lembre-se que sua fama de cozinheira está em jogo e decida ir em frente com a receita. Distraia-o e quando ele menos esperar, atire-o em cima da cenoura. Prepare-se para ver os resultados do massacre e perceba que a cenoura, além dos neurônios rebeldes, ainda está rindo da sua cara. Nao desista e persista com os ataques. Depois de 10 minutos, observe os resultados e constate que, se continuar nesse ritmo você nao vai comer bolo de cenoura antes de voltar pro Brasil. Ataque as cenouras agora com mais ferocidade. Olhe o resultado. Comece a chorar. Amaldicoe a vida, os alemaes, os seus amigos que te largaram sozinha na cozinha. Jogue o mixer dentro da vasilha e observe partes da massa grudando nas paredes, chao e teto. Pense em se jogar pela janela. Vá até a parede e bata a cabeca nela até os neurônios pararem de rir da sua cara. Seja surpreendido pelos seus amigos que entram na cozinha nesse instante. Diga a eles que você estava praticando uma técnica milenar chinesa para evitar o suicídio. Olhe para as expressoes assustadas deles enquanto examinam a cozinha e perguntam "você tem certeza que nao usou um helicóptero para fazer isso?". Mande-o à merda. Observe o outro se aproximar da vasilha e dizer "Putz! Que pessoa normal tentaria triturar cenouras desse tamanho com um mixer?". Atire a colher nele e diga que os normais entao que se quiserem continuem a fazer o bolo. Saia da cozinha e comece a arrumar suas coisas pra ir embora. Espere. Perceba que eles nao vao atrás de você. Mude de idéia. Ouca os barulhos da cozinha e veja que eles, ao contrário de todas as expectativas, resolveram aceitar o desafio e atacam as cenouras armados com o mixer e uma faca. Espere mais um pouco. Quando os ruídos do combate indicarem a vitória dos humanos sobre as cenouras, pense que talvez sua fama como cozinheira ainda nao esteja totalmente derrotada e entre na cozinha. Assista aos últimos momentos da batalha, em que o mixer à beira da exaustao tritura um pedaco de cenoura que tenta fugir pedindo piedade. Nao consiga disfarcar o sorriso no rosto depois de ver as cenouras derrotadas. Finja que nao aconteceu nada e, sem esperar muito tempo, reassuma o comando. Prove a massa e veja que falta acucar. Vire a metade do pacote de acucar. Misture mais um pouco. Coloque mais farinha e misture novamente. Repita o processo cerca de dezenove vezes. Prove mais uma vez e coloque mais acucar. Misture novamente e prove. Pegue o pacote de acucar e escute os alemaes protestando. Vire o resto do pacote e diga que eles nao entendem nada de bolo. Ignore os risinhos de deboche deles. Tente lembrar o que pode estar faltando. Continue misturando. Ligue o forno a 180°C. Continue misturando e tente combater a sensacao de que está faltando alguma coisa. Unte a forma e por via das dúvidas, enfarinhe. Já deu coisa errada demais até agora. Vire a massa na forma untada e enfarinhada e depois de colocá-la no forno, fechar a porta e dar gracas a Deus por nao ter acontecido mais nada, escute um grupo de neurônios gritando das profundezas do seu cérebro: "o fermento!!!". Bata a mao na testa com toda a forca que conseguir reunir. Comece a chorar. Vá até a parede e bata a cabeca nela até que seus neurônios aprendam a nao esquecer das coisas desse jeito. Tire o bolo do forno. Pergunte pelo fermento. Escute eles dizendo que nao tem. Nao acredite e procure você mesma. Constate que realmente nao tem. Sente-se com as pernas cruzadas, feche os olhos, respire fundo e mentalize que um pacote de fermento está aparecendo nas suas maos. Veja as cores dele. Sinta a textura dele. Abra os olhos. Veja que nao funcionou. Chegue a conclusao de que com manteiga é mais fácil. Considere a possibilidade de fazer um bolo sem fermento. Descarte a possibilidade. Nao se dê por vencida e pense que ao menos uma pessoa nesse prédio vai ter um pacote de fermento. Desca as escadas até o andar mais próximo, bata a campainha, faca a melhor cara de cachorro sem dono que você conseguir e pergunte "moça, voce tem um pacote de fermento pra me arrumar?". Veja-a balancando a cabeca e batendo a porta na sua cara. Repita o processo cerca de três vezes. Antes de desistir de tudo e resolver fazer em vez disso a torta de maçã, chegue no primeiro andar do prédio quase sem esperancas e pergunte pelo fermento. Prepare-se para ir embora e fique surpresa ao ver que ainda nao bateram a sua cara na porta a porta na sua cara. "Tenho sim", escute a mocinha respondendo. Pegue o pacote de fermento, prometa um pedaco de bolo pra ela e volte para o quinto andar. Pergunte-se porque é que a única pessoa no prédio que tinha um pacote de fermento morava justamente no primeiro andar. Amaldicoe quem inventou as escadas antes de existir o elevador. Volte pra cozinha. Tire a massa da forma, outrora cuidadosamente untada. Mande um dos amigos lavar a forma. Mande o outro untá-la. Misture o fermento à massa. Vire a massa novamente na forma. Coloque a forma no forno e reze para no fim de tudo ainda nao acabar o gás. Enquanto aguarda, prepare a cobertura de chocolate, aguentando mais uma dose de protestos "chega de acúcar!". Sinta o cheiro de bolo pronto e retire-o do forno. Usando uma luva, peloamordedeus, já chega de acidentes. Desenforme, cubra com a calda de chocolate e chame os amigos para ver que afinal de contas deu alguma coisa que preste comer. Perceba que você colocou farinha demais, mas que no fim das contas acabou faltando acucar. Nao admita que eles falem nada. Receba os elogios e veja que sua fama nao está tao abalada assim. Ouca a sugestao de um dos amigos de que devia ter pedacos maiores de cenoura e vire o bolo na cabeca dele. Mas separe alguns pedacos antes disso. Coma tudo, para mostrar pros seus neurônios que você pôde tirar alguma coisa boa disso tudo. Fique com dor de barriga.

Cozinha depois de conhecer a Carol

Repita todos os passos uma vez por semana até chegar à conclusao de que:

1 - Nem tudo na sua vida dá tao certo como uns e outros pensam;

2 - Mesmo nao dando certo, acaba dando certo;

3 - Nao existe bolo tao ruim que nao acabe em pizza.

8 falando de mim:

Nat disse...

Me divirto mto!!!!!

Afinal de contas, levou um pedacinho pra moça do primeiro andar ou ela tá lá te amaldiçoando???

Ah! Acredita q a lena fez um bolo de cenoura com cobertura d chocolate aqui em casa hoje?? Coincidencia nao??

beijosss

RENATA disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk!

Fiquei curiosa para saber se vc dissesse para os alemães que acabou em pizza, se eles entenderiam...

Beijo

Genim disse...

Hahahaha
Tô lembrando de quando inventamos de fazer uma receita da Ana Maria Braga que uma das minhas amigas de SP viu quando estava esperando o atendimento do dentista. Só com isso dá para se ter uma leve noção de como tínhamos uma "receita". Veio a dificuldade ao tentar conseguir os "ingredientes brasileiros" e assim fomos... Até no final sair um protótipo bem rústico da idéia inicial!
Mas no final, como vc disse, deu certo!
Bjs

tissalu disse...

Amada, idolatrada, salve, salve.Menina que confusão pra fazer um bolo, mas graças a ele saboreamos um post muito legal. Por isso, eu até poderia lhe passar uma boa receita, mas acho melhor deixar como esta. Quero saber mais da vida em familia e dos passeios de bicicleta. Descobri que os nascidos sob influencia canceriana usam o choro como expressão catártica, e não como apelo emocional. Your far away aunt Bia

pedro disse...

auhasuHUAHUHASUhauhS Carolzina esse foi o post MAIS ENGRAÇADO DE TODOS OS TEMPOSA chorei de rir aqui na aula de diagramação!!!

Carol disse...

Algumas respostas:
Nat, sim levei um pedaco pra moca, ela nao precisou me amaldicoar. Embora se ela tiver ficado também com dor de barriga deve estar me amaldicoando muito mais intensamente.
Renata, nao, eles nao entenderiam, fiz o teste.
Tia Tiza, nao acredito que você me conhece há 23 anos e ainda nao sabia disso. Embora eu deva dizer que o choro por apelo emocional também costuma funcionar.

Carol Cabelo disse...

Carrroollll....

escrevi outro post enorme, e alguma coisa me fez perdê-lo, e não lembrar exwatamente o que eu tinha escrito. af.... mas vou tentar de novo.

Então, que bom que anda tudo bem por aí... (eu ia escrever no post que vc fala do outono por aí....). sim, eu estou lendo de cabeçca pra baixo!! é que hoje eu resolvi jogar tudo pro alto mesmo, e aproveitar que eu já vou fazer uma prova sem ler os dois textos mais importantes, que eu vou apresentar trabalho sem ter lido a última versão, e que eu vou dar aula sem preparar, pra tirar um tempinho e vir ler os milhares de posts que eu tinha atrasados. e principalmente, pra saber como você está!!!

comentei no outro comentário (ficou feio isso!) q a gente nunca sabe mesmo se é boa ou ruim a sensação de estar indo embora. na verdade, nem quando a gente chega dá pra saber. mas o importante é aproveitar ao máximo tudo o que for possível. é como uma frase que eu sempre digo, que vc tb colocou no "bolo de cenoura": mesmo quando dá errado, dá certo. outra coisa... tres meses, bem, não são só tres meses. muita coisa boa ainda vai rolar!! quem sabe um daqueles membros perdidos da família Viterbo não se mudou pra Alemanha e, por um acaso, você não tem família aí, escondida em algum lugar? ainda dá tempo de procurar!!! rsrs

espero que tudo esteja muito bom pra você aí!!! e já que eu falei de outono, então, antes que ele acabe, guarda uma folhinha amarelinha pra mim??? vai ser a lembrança do outono que eu nunca tive.... pelo menos, ainda não!!

bom, espero não ficar tanto tempo de novo sem te ler! é que o bicho tá pegando de acordo por aqui... por um acaso, resolvi que tenho que fazer o intercâmbio no próximo ano de qualquer jeito, entao QUALQUER coisa que dá dinheiro eu tô fazendo. menos trabalhar de telemarketing de novo e rodar bolsinha... rsrsrs. resumindo: tá osso!!

bjão, e até mais ver!!!

Carol Cabelo

Rose disse...

Poxa Carol vc não levou o pedaço de bolo pra moça do primeiro andar?

Postar um comentário