domingo, 3 de janeiro de 2010

Contagem regressiva

Quando eu penso no ano que se passou, não consigo conceber que tudo o que eu vivi aconteceu em apenas um ano.


Em um ano vivi em quatro famílias diferentes, em um país e uma cultura muito mais estranhos do que eu imaginava. Aprendi a gostar de criança, desisti de ter filhos tão cedo e descobri coisas sobre mim mesma que de nenhuma outra forma eu descobriria. Conheci muita gente, amigos que vieram e se foram, pessoas que me marcaram para uma vida toda, pessoas que duraram apenas uma dança. E uma que me faz querer ficar aqui pra sempre. Entre aventuras, coincidências, eventos imprevisíveis, bolos de cenoura, viagens inusitadas e histórias indizíveis, apesar de todos os pesares, apesar de todas as dificuldades que eu tive no começo e de todas as pedras no caminho, posso dizer que 2009 foi um dos melhores anos da minha vida. E mesmo que alguns fatores me façam quase desistir de ir embora, existe também a saudade, existem os amigos e a família e um milhão de coisas para serem resolvidas no Brasil. Existe a promessa de que eu voltaria. E eu vou voltar. Mas eu preciso dizer que esse inverno, esse final de ano foi marcado pelo sentimento de que o tempo está acabando. O Reveillon foi regado a tango, fogos de artifício, beijos e lágrimas sinceras, por sentir que eu estou abandonando muito mais do que a Alemanha. Estou deixando uma parte da minha vida aqui.


A partir de hoje, começa a contagem regressiva. Dentro de exatamente um mês eu vou estar chegando naquele mesmo aeroporto de onde saí um ano atrás, entre abraços e olhares tristes. O meu olhar hoje talvez não esteja tão feliz como eu há alguns meses imaginei que estaria. Mas é um olhar certamente diferente do que eu tinha, com muito mais vivências, muito mais emoções. De certa forma, era isso o que eu queria. Aprender a ver o mundo com outros olhos. E só o fato de ter conseguido isso, faz com que eu possa dizer, apesar de toda e qualquer consequência: Valeu a pena!


Desejo a todos vocês um ano repleto de experiências novas e enriquecedoras. Que 2010 possa ser ainda melhor do que o ano que passou.

4 falando de mim:

Raquel disse...

Posso te dizer uma verdade sobre a vida que é um pouco triste?
Voce vai deixar uma parte de voce que nunca mais vai conseguir recuperar. A saudade vai ser sua companheira pra sempre. Mesmo depois que a saudade das pessoas passar, restará a saudade de tudo o que viveu.
É assim quando a gente mora fora.
E talvez , assim como eu, voce nunca mais aguente ficar fixa em um só lugar. Navegar é sempre preciso....
Viajar é sempre uma procura. No fim das contas, a gente acaba se achando mesmo.
Mas tem tambem o lado bom. Tudo tem.
E eu to doida pra descobrir também!
E com saudade tb! Reunimos na casa da Nat ontem!Faltou vc!

Bjão!

Nat disse...

Faltou mesmo Carol!!!
Vc traduziu o q eu senti qndo eu voltei do México...
E de fato, vc nunca mais terá isso de novo... mesmo se voltar, não será a mesma coisa... não encontrará os mesmos amigos, as mesmas coisas do jeito q vc deixou...
Tem hr q dá vontade de voltar no tempo.. mas não é só pra voltar pro México.. é a vontade de reviver bons momentos... tipo o colégio... o intercambio... uma viagem q vc faz pra encontrar uma amiga q tá morando na Alemanha...
Bom... mas... são coisas da vida... acontece e sempre acontecerão... agora vem a saudade da faculdade... de tudo o que passou...

No mais... estamos te esperando de braços abertos!! A saudade aqui tá grande!!!
Beijos

Mayara disse...

É amiga, tu conseguiu descrever o que eu senti ao ir embora..que é o que eu sinto ainda hoje ao lembrar de tudo. Percebi que é assim, e assim sempre vai ser: depois da Alemanha, meu coração nunca mais ficará completo, assim como minha felicidade. Isso porque foram divididos e separados pelo oceano...

Amei ter te conhecido. Obrigada pelos poucos, mas tão bons momentos. Pelas lágrimas e sorrisos.

Um bjo grande e um abraço bem apertado.

Renata disse...

oi, Carol
estou em Frankfurt. pena que a gente nao se viu desta vez. beijo
Re

Postar um comentário